Taliteando
Felicidade é descobrir que a feira perto da nova casa guarda algumas histórias e delícias. Na banca de pimentas, descobri que ela é frequentada por personagens ilustres, como Alex Atala, que aparece em inúmeras fotos ao lado do vendedor,  perduradas entre os preços e as descrições dos produtos. Por via das dúvidas, comprei a pimentinha preta para fazer raclete no meu final de semana, afinal, ela é “recomendada pelo chefe”. Na banca de coco do seu Valdo, pidona que sou, fiz charme pra poder experimentar a cocada, e acabei ganhando metade de um doce grande. Que me ganhou, com seu sabor molhadinho. Comprei uma bandejinha para os amigos que vierem assistir Game of Thrones aqui em casa. A feira, no geral, é cara, mas dá pra economizar negociando e andando por toda ela, antes de decidir em que banca comprar o que. Os vendedores são bem menos ousados do que na periferia, o que torna a experiência menos engraçada. Ah! Mas eles têm “nota fiscal”, que é pra “patroa não desconfiar da empregada”. Achei meio triste isso, mas, sinceramente, quem perde é a “dona” que fica em casa e não ganha fruta ou dezenas de “bom dia”, além de não ver a combinação de cores das frutas e verduras, não sentir os cheiros dos temperos, entender a mudança de estação na variedade… A feira fica na rua Capitão Pinto Ferreira, entre a Alameda Lorena e a rua Batataes #jardinsemfrescura

Felicidade é descobrir que a feira perto da nova casa guarda algumas histórias e delícias. Na banca de pimentas, descobri que ela é frequentada por personagens ilustres, como Alex Atala, que aparece em inúmeras fotos ao lado do vendedor, perduradas entre os preços e as descrições dos produtos. Por via das dúvidas, comprei a pimentinha preta para fazer raclete no meu final de semana, afinal, ela é “recomendada pelo chefe”. Na banca de coco do seu Valdo, pidona que sou, fiz charme pra poder experimentar a cocada, e acabei ganhando metade de um doce grande. Que me ganhou, com seu sabor molhadinho. Comprei uma bandejinha para os amigos que vierem assistir Game of Thrones aqui em casa. A feira, no geral, é cara, mas dá pra economizar negociando e andando por toda ela, antes de decidir em que banca comprar o que. Os vendedores são bem menos ousados do que na periferia, o que torna a experiência menos engraçada. Ah! Mas eles têm “nota fiscal”, que é pra “patroa não desconfiar da empregada”. Achei meio triste isso, mas, sinceramente, quem perde é a “dona” que fica em casa e não ganha fruta ou dezenas de “bom dia”, além de não ver a combinação de cores das frutas e verduras, não sentir os cheiros dos temperos, entender a mudança de estação na variedade… A feira fica na rua Capitão Pinto Ferreira, entre a Alameda Lorena e a rua Batataes #jardinsemfrescura

Hoje foi dia de conhecer o vizinho novo. Leia ficou animadíssima com o Ibirapuera, só não gostou muito dos cisnes negros que ameaçatram atacá-la (foi assim que ela interpretou o bater de asas deles). E a caminhada que começou com neblina - que eu particularmente acho linda -, terminou com um sol tímido, mas dourado. #jardinsemfrescura

Hoje foi dia de conhecer o vizinho novo. Leia ficou animadíssima com o Ibirapuera, só não gostou muito dos cisnes negros que ameaçatram atacá-la (foi assim que ela interpretou o bater de asas deles). E a caminhada que começou com neblina - que eu particularmente acho linda -, terminou com um sol tímido, mas dourado. #jardinsemfrescura

Felicidade é descobrir que na esquina da nova casa há uma simpática vendedora de tapiocas <3 #jardinsemfrescura

Felicidade é descobrir que na esquina da nova casa há uma simpática vendedora de tapiocas <3 #jardinsemfrescura